Brasil

Homens Infames-Português Infamous Man -Inglês Hombres Infames-Espanhol


Artigo
Acesse Homens Infames -Português
Acesse Infamous Man -Inglês
Acesse Hombres Infames-Espanhol


Introdução

      Homens Infames, abusadores, estupradores e pedofílicos é um artigo resultante de pesquisa de campo, que embora finalizada em 2002, se constata continua expondo os pensamentos dos homens que cometem tais delitos, sem que nada tenha mudado, infelizmente, o quê se verifica pelos órgãos de comunicação e falas de presos julgados, condenados e em nossas prisões.

      Este estudo foi realizado com homens apanhados pela Lei, condenados e presos, por crimes contra os costumes, Título VI, do “Código Penal Brasileiro”, em cadeias pertencentes à 1ª Delegacia Penitenciária – 1ª DP, da Superintendência dos Serviços Penitenciários - SUSEPE, do Estado do Rio Grande do Sul, onde a autora trabalhava na época. Ainda, foi patrocinado pela “Universidade Luterana do Brasil” - ULBRA, Curso de Psicologia, na qual a autora era professora da cadeira de Psicologia Social.

      O trabalho utilizou entrevistas individuais e análise de conteúdos e como fundamentação teórica Foucault, Deleuze, Moscovicci, Maritza Monteiro e teoria das Representações Sociais.

      Em relação à apresentações, esta pesquisa foi exposta a convite, em vários congressos e encontros, além de palestras como na OAB-RS, na Semana do Advogado, março/2002; nos cursos de Direito da ULBRA e UFRGS 2002/2003/2005; no III Congresso Internacional de Saúde Mental e III Jornada de Psiquiatria Forense PA, 2002, do qual os trabalhos foram editados na Revista “Psiquiatria Legal”, editora Saúde Educação e Prevenção, 2004; no “Seminário Corpo Gênero e Sexualidade”, UFRGS 16-18/5/2007; exposta online no “Espaço Michel Foucault” www.filoesco.unb.br/foucault, da Universidade de Brasília, onde ainda se encontra presente e de forma completa. Divulga-se uma súmula do artigo em português, espanhol e inglês, esperando que sirva como alerta e prevenção para a violência contra a mulher e crianças.

Leituras